Histórias da Unisc

       

 

PINCELADAS SOBRE A HISTÓRIA DA UNISC

Rosa Glesse

Entre 1964 e 1967, não encontrei legislação que impedisse a abertura de novos Cursos. Foram encaminhados pedidos por outras Faculdades, havendo diversas negativas por insuficiência de recursos próprios, instalações e titulação do corpo docente.

No período as Universidades podiam expandir suas matrículas através de extensões de Cursos, tendo sido, pelo que parece, esta a forma procurada, tendo em 1967 iniciada a extensão com a FIC e no ano seguinte com a Faculdade de Direito de Santa Maria. Em 1970 iniciaram as extensões de cursos com a UFSM com amparo no Parecer nº 611/69.

Em 1976, foi encaminhado o projeto de Regimento Unificado do Centro Educacional do Vale do Rio Pardo que culminou com a aprovação do Regimento Unificado das Faculdades Integradas de Santa Cruz do Sul, através do Parecer nº 971, de 5 de agosto de 1980, transformando as Faculdades isoladas: Faculdade de Ciências Contábeis e Administrativas, Faculdade de Direito, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras e Escola Superior de Educação Física em Faculdades Integradas de Santa Cruz do Sul.

A implantação dos cursos em regime de férias nas Licenciaturas representou significativa expansão nas matrículas, em 1981 e anos seguintes. 

A Carta-Consulta da UNISC começou a ser elaborada concretamente em 1983, a partir de modelo da UNIJUÍ. Embora a proposta tenha sido considerada concluída em 1984 e analisada pelo Sr. Raulino Tramontin, Assessor do MEC (?) ela não foi protocolada no MEC, provavelmente por falta de corpo docente qualificado: titulação e regime de trabalho.  

Em 1988, com base na Resolução 3/83 e Portaria 11/83 do CFE foram retomados os trabalhos de elaboração da Carta-Consulta, resultando num documento de 400 páginas que não foi possível protocolar no MEC porque vigorava decreto presidencial (Decreto nº 93.594/86, prorrogado pelos Decretos nº 95.003/87, nº 97.223/88 e 97.881/89) que sustava a criação de novos cursos e universidades. O prazo para recebimento de processos abriu apenas em janeiro de 1990.

Em maio de 1989, foi constituída Comissão interinstitucional (APESC/FISC, FATES e FUNVALE) para realizar estudos sobre a viabilidade de implantação da Universidade Regional, tendo a idéia partido de Cachoeira do Sul. Após a análise das vantagens e desvantagens da Universidade Regional, optou-se pelo encaminhamento da Carta-Consulta para a criação da Universidade local e continuar estudando a possibilidade da Universidade Regional.

Em 1989 foi retomado o trabalho, sendo atualizados dados e complementadas informações, podendo finalmente em 03 de janeiro de 1990 ser protocolada a Carta-Consulta (agora de 415 páginas) para a criação da Universidade, juntamente com os projetos dos Cursos de Psicologia e Análise de Sistemas.
           
Em 19 de fevereiro de 1991 o Conselho Federal de Educação aprovou a carta-consulta, sendo em seguida nomeada a Comissão de Acompanhamento que, no final de dois anos, encaminhou ao MEC parecer favorável à criação da Universidade de Santa Cruz do Sul.
           
Durante a fase de transição para Universidade, já foram vivenciadas transformações sendo as maiores de caráter estrutural que foram definitivamente consagradas com o Reconhecimento da Universidade em 25 de junho de l993:
           
* Redepartamentalização (redução de 16 para 12 Departamentos, em 18 de julho de 1991);

* Novo Regimento – Estatuto e Regimento Geral:

  • implantando nova estrutura de administração superior;
  • concedendo autonomia administrativa à Universidade – antes a APESC administrava a parte financeira, pessoal e material;
  • extinguindo as Faculdades, em 04 de março de 1992;
  • criando as Coordenações de Curso.

Com a conquista da Universidade veio:
. a autonomia para criação de novos cursos, extinção de cursos, alterações curriculares, aumento ou diminuição do número de vagas;
. a abertura de novas possibilidades, resultando na expansão de cursos, da pesquisa e da extensão.
                 

Associação Pró-Ensino em Santa Cruz do Sul - APESC